Pular para o conteúdo principal

Como calibrar a sua Suspensão a Ar?

Autor:
Quando comprei a minha 1ª bike com suspensão pneumática (Rock Shox XC-30), soube que a calibragem só poderia ser feita com uma bomba de ar especial. Como todo marinheiro de primeira viagem, achei que passando na oficina eventualmente para checar os PSI era suficiente.

Só a experiência acaba revelando alguns problemas de percurso:
- na loja, ao invés deles utilizarem o SAG (leia o artigo linkado abaixo), usaram simplesmente a tabelinha do fabricante aposta no corpo da suspensão. Ou seja, colocaram duro e seco os 120 PSI indicados para o meu peso;
- para o meu tipo de terreno misto, 120 ser revelou bem incômodo. Numa outra oficina, o cara sugeriu 115 PSI, medida que aumentou o conforto, mas não resolveu totalmente o problema da dureza;
- não cheguei a me sentir totalmente cômodo com esta suspa, ainda mais porque não entendia muito bem a regulagem do REBOUND. Antes disso, acabei trocando de bike e somente na nova e que me pus a pesquisar mais profundamente esses assuntos.

Minha primeira lição é que aparecer num bicicletário só para regular a suspa, os caras até podem te atender sem cobrar nada, mas fica no ar aquela coisa meio chata deles estarem trabalhando de graça, da coisa do favor.

Então, cheguei à conclusão de que eu deveria ter a minha própria bombinha, ainda mais porque a minha mulher está adquirindo uma nova bike com suspensão a ar. No caso dela, eu mesmo farei o SAG, regularei o REBOUND e definirei a pressão dos pneus, nos parâmetros mais brandos e adequados às peculiaridades da fisiologia feminina.

Naturalmente, quando a minha nova bike saiu da loja, o camarada calibrou a Rock Shox Reba com os famigerados 120 PSI, que a deixou dura feito um pau. Felizmente, no primeiro pedal, esqueci de conferir a calibragem dos pneus e eles estavam mais ou menos com 10 libras abaixo da pressão mínima de 35 PSI. Assim, uma coisa equilibrou a outra, mas digamos assim, estava uma porcaria.

Na decorrência, apareci num bicicletário de confiança e pedi para calibrarem a suspa. Aí eles fizeram o SAG e a pressão ficou entre 90 e 100 PSI, segundo a palavra do mecânico - que ficou perfeito!

Aproximadamente umas 3 semanas depois, hoje comprei uma bombinha Specialized e dei uma conferida na pressão e estava com 80 PSI, ou seja, valor muito baixo para o meu peso. Então, calibrei entre 95 e 100 PSI para ver no que dá. Adicionalmente, baixei a pressão dos pneus, que estava usando em 50 para 40 PSI. Apesar de dar um fôlego tremendo no asfalto, a maior calibragem deixava os terrenos ruins muito trepidantes!

Enfim, vejo hoje que a questão da regulagem das pressões pneumáticas deve ser frequentemente checada, por isso, alguns profissionais chegam a levar a campo, além da bombinha de encher pneus, a bombinha própria para calibrar a suspa.

Aí surge a pergunta: é possível usar a bomba de suspa para calibrar pneus e vice-versa. E a resposta é não! Como a câmara de ar da suspensão é muito pequena, a bomba específica tem capacidade de bombear pequenas quantidades de ar. Se você insistir em usá-la para calibrar os pneus, até conseguirá, mas levará um tempão enorme.

O contrário é muito mais perigoso, já que o uso de uma bomba de pneu na suspensão pode facilmente explodir a câmara interna, devido ao excesso de volume de ar bombeado. Se você apelar para um compressor de posto de gasolina, aí sim o desastre é certo!

Artigo interessante que mostra como fazer o SAG, traz tabelas dos fabricantes e explica sobre a regulagem do REBOUND: http://mtbbrasilia.com.br/2013/08/16/oficina-como-regular-corretamente-seu-amortecedor-a-ar/

Foto: http://www.revistabicicleta.com.br/bicicleta_noticia.php?bomba_de_suspensao_para_bike&id=31262

Postagens mais visitadas deste blog

Cubos com Rolamentos ou Esferas – qual é o melhor? Qual roda gira mais livre?

Autor:
A velha polêmica cessará algum dia? O certo é que as bikes mais sofisticadas (caras) vêm com os tais “sealed bearings” (rolamentos selados) e aquelas abaixo de 5k vêm equipadas com anéis de esferas alojados em cones (cup and cone hub). Então, aparentemente só há argumentos bons em relação aos rolamentos e merda em cima das esferas? Errado! O melhor então seria reformular a pergunta: qual é o melhor, um cubo com rolamentos mais ou menos ou um cubo de esferas/cone de alta qualidade?

Também é verdade que há por aí bikes meia boca com rolamentos chineses cujas rodas parece que giram com areia dentro.

Se é verdade é que as pessoas têm problemas nos dois mundos, então vamos colocar alguns argumentos que pesam do lado das rejeitadas esferas. Aliás, a minha GT Zaskar 27.5 Sport está na faixa de preço que não comporta rolamentos, mesmo assim as rodas giram com uma liberdade absurda! E ainda melhor, sem produzir ruído algum, digamos assim, o característico zunido dos rolame…

Galeria de selins sem nariz que salvam a vida sexual do(a) ciclista

Autor:
Os especialistas em saúde sexual masculina afirmam que os ciclistas se divide em 2 grupos: dos que estão impotentes sexuais e o dos que ficarão. E a explicação para essa tragédia é que os selins tradicionais jogam 25% do peso corporal sobre a região do períneo, onde ficam a próstata, a raiz do pênis, e artérias responsáveis pela irrigação do órgão sexual. Assim, uma atividade física, a princípio valiosíssima, pode vir a ser causa de problemas graves de saúde.

As mulheres também têm seus percalços, uma vez que sofrem dores devido à constante pressão exercida contra a sua genitália pelo bico dos selins tradicionais.

Homens com hipertrofia da próstata se encontram completamente alijados do ciclismo, se não buscarem soluções alternativas de assentos. Ciclistas que sofrem sensação de dormência depois de pedais longos devem abandonar inteiramente a concepção de que “ainda não se acostumaram” aos seus selins caros, bonitos e de marcas famosas. O corpo humano não foi feito…

Como regular o câmbio dianteiro Shimano?

Autor:

Desde que comprei a Mountain Bike há 2 meses venho enfrentando alguns probleminhas com a regulagem do freio dianteiro. São duas queixas: eventualmente a corrente caia fora e a corrente raspava em um dos limites. Primeiramente a coroa saltava fora na coroa menor. Depois de nova regulagem na loja, a corrente ficou mais instável na coroa maior.

Ora, se o câmbio dianteiro é o Shimano Deore FD-616, não deveria haver problemas, não é mesmo? Entretanto, mesmo depois da revisão dos 100 km os problemas persistiam.

Então resolvi por mim mesmo regular a coisa. Obviamente, a primeira intervenção não serviu para nada, pois mexi no parafuso mais alto, e na realidade só baguncei o limite da corrente na coroa pequena. Aí resolvi pesquisar pra valer na net! Logo me deparei com o vídeo abaixo que é perfeito para a regulagem de TODOS os câmbios dianteiros Shimano. É bom dar uma olhada nas explicações por escrito: How to Adjust Shimano Mechanical Road Front Derailleurs


O resumo da ó…