Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

A compra da 1ª bike é sempre do tipo custo/benefício: Gonew 6.3 Endorphine 29

Autor:

Foi isso que aconteceu comigo, isso acontecerá com você e com todos. No auge da nossa empolgação em entrarmos para o caminho fitness, não está nos nossos planos pagar muito por uma bicicleta, normalmente algo em torno dos mil reais.

E até que é acertada essa decisão, pois pouco tempo depois, se é que nos aprofundamos na atividade, desenvolvemos clarividência suficiente para escolhermos a bicicleta certa, aquela que suprirá realmente as nossas necessidades.

Logicamente, a 3ª será a dos nossos sonhos e isso pode ocorrer em menos de 1 ano, se é que nos apaixonamos pelo pedal e a magrela não fique se empoeirando no quartinho de bagunça.

Toda essa enrolação é só pra falar sobre esse achado fotográfico que exemplifica a nenhuma durabilidade das bicicletas de 1ª opção que faze a alegria das compras dos grandes magazines. Trata-se de uma chinesa puro-sange Gonew 6.3 Endorphine, aro 29, alguns componentes Shimano (para enganar novatos), trava na suspensão (o que não quer di…

Por que troquei a bateria de lítio por uma de chumbo-ácido na bike elétrica?

Autor:
Aparentemente seja um contrassenso, talvez por isso não se vê na internet tutoriais para fazer a migração reversa, ou seja, sair das tão propaladas baterias de lítio e adotar as humildes e prosaicas baterias de ácido-chumbo. Tomei esta decisão depois de termos usado tão somente 5 meses um kit elétrico que veio com motor de 350 w e bateria de 36 v 10 ah.

Depois que a bateria começou a se desligar nas subidas um pouco mais íngremes, resolvi tirar o pack do chassis de alumínio e verifiquei que as células eram de 2,2 ah. Como o pack era formado de conjuntos de 4 células em paralelo num total de 10, depreende-se que a corrente total era tão somente de 8,8 ah, isso se tudo estivesse funcionando perfeitamente.

Ao longo dos percursos, constatamos que o melhor rendimento do motor era bom durante os primeiros 10 km, usando tão somente pedal assistido. Depois, caia consideravelmente.

Como moramos numa região serrana, certamente uma bateria com menor capacidade nominal do que …

A arte Zen de pilotar uma bicicleta: Taichiclismo

Autor:

Tenho observado velhos ciclistas e ciclistas velhos pedalando de maneira completamente incorreta. Há vários problemas que podem ser detectados ao primeiro relance:

- uso de marchas demasiadamente leves com cadência alta: que apesar de não implicar a primeira vista em maior dispêndio de força, provoca o aumento da frequência respiratória e, consequentemente, da frequência cardíaca (que pode redundar em taquicardia);
- ombros excessivamente tensos: o ato de tensionar músculos desnecessários a ação de pedalar redunda somente em perda inútil de energia;
- ondulação dos quadris nas pedadas vigorosas de subidas: sintoma de selim posicionado inadequadamente, provavelmente alto demais;
- dormência nas mãos: calibragem errada dos pneus, amortecedores e/ou manoplas sem ergonomia.

O resultado do tensionamento traduz-se em menor conversão da energia muscular em movimento efetivo, que por sua vez redunda em cansaço exagerado, que não aconteceria se o piloto aprendesse a dosar p…

Visão feminina do ciclismo, como modal de transporte e cultivo da saúde

Autor:



Mesmo numa região serrana altamente acidentada é possível praticar o ciclismo em suas dimensões utilitária e lazer. Minha esposa escreve o artigo a seguir relatando a sua profícua experiência nessa atividade. Em pouco tempo ela se tornou outra pessoa em termos de capacidade cardiorrespiratória. Vale a pena darmos uma abertura mental aquilo que julgamos impossível!

O ciclismo possível, mesmo em relevos desafiadores de serra:
http://www.teliga.net/2017/02/o-ciclismo-possivel-mesmo-em-relevos.html

Por que mulher tem que ter bicicleta ruim e andar sempre atrás?

Autor:

Primeiras impressões sobre Specialized HT Epic Comp Carbon Feminina 29
Rolou um tempinho entre nós a clássica figura do cidadão com uma bicicleta top disparado na frente, enquanto a sua esposa vem lá atrás comendo poeira. Normalmente, em parte por causa das limitações inerentes aos modelos femininos.

Depois que adquiri a minha Epic HT alumínio, as diferenças de rendimento se tornaram gritantes, então era chegada a hora de tomar uma atitude. Pesquisando no site da Specialized, descobri que esse mesmíssimo modelo Epic tinha uma versão feminina e o melhor, tinha o tamanho XS que é o único cabível para a esposa.

Só tinha um problema: os modelos Epic Hard Tail para mulheres começam com carbono, ou seja, custam uns 5 mil a mais. Mesmo assim, decidimos que valia a pena apagar o abismo entre nós é partimos para o abraço, ou melhor, para a forca dos boletos sem fim.

Já estamos pedalando juntos com as duas Epic e o rendimento da mulher simplesmente mudou da terra para céu! M…

Para mulheres, bicicleta feminina ou masculina faz a diferença?

Autor:

Por que a maioria das mulheres acaba tendo uma bike masculina? Sabemos que na maior parte dos casos são os maridos/namorados que escolhem, logicamente, influenciados pelo papo dos lojistas, logicamente motivados em desovar estoque ao invés de satisfazer plenamente às peculiaridades fisiológicas únicas da natureza feminina.

Por causa da ignorância e baixos interesses mercantilistas por parte dos vendedores, formou-se um conceito de que as bicicletas femininas se diferenciam apenas por alguns fricotes, grafismos cor-de-rosa e outras bobagens.

Posso falar do caso específico da marca Specialized. Seus modelos femininos são inteiramente desenhados para a anatomia feminina. Os quadros, mesmo no caso da Epic Hardtail, que é o mesmo modelo (no nome) tanto para homens, quanto para mulheres, mudam sensivelmente a sua geometria nas versões femininas. Ademais, as suspensões são especialmente calibradas para serem mais macias, para desta forma proverem maior fator de amortecim…

Grande problema das bikes elétricas? Baterias murrinhas feitas com células marca diabo

Autor:
Montamos o Kit Elétrico na Caloi Wild 24 e o serviço e ocorreu a estreia no dia 3 de agosto de 2016. Exatamente no dia 3 de fevereiro de 2017 a bateria foi declarada oficialmente morta. Para um produto que custa em média 1.500 reais, vamos convir que é uma vida extremamente curta!

Vamos aos fatos:
- Tirei o pack do chassis e constatei que uma das pilhas tinha vazado. Como as células são formadas por 4 baterias ligadas em paralelo, certamente as outras 3 da célula tinham ido para o saco. Até troquei essas 4 pilhas e botei para carregar, mas o problema do apagão na bateria nas subidas não foi solucionado;

- O selo da bateria diz 36 Volts 10 amperes/hora. Não é verdade, pois cada pilha possui tão somente 2,2 Ah, que multiplicado por 4 (por estar em paralelo) dá 8,8 Ah. Apesar do módulo e motor exigirem uma bateria 36V 10Ah, foi pregada uma peça no idiota do consumidor;

- O material enviado pelo vendedor menciona que o pack é montado com “células Samsung” (as mesmas us…

Como calibrar a sua Suspensão a Ar?

Autor:
Quando comprei a minha 1ª bike com suspensão pneumática (Rock Shox XC-30), soube que a calibragem só poderia ser feita com uma bomba de ar especial. Como todo marinheiro de primeira viagem, achei que passando na oficina eventualmente para checar os PSI era suficiente.

Só a experiência acaba revelando alguns problemas de percurso:
- na loja, ao invés deles utilizarem o SAG (leia o artigo linkado abaixo), usaram simplesmente a tabelinha do fabricante aposta no corpo da suspensão. Ou seja, colocaram duro e seco os 120 PSI indicados para o meu peso;
- para o meu tipo de terreno misto, 120 ser revelou bem incômodo. Numa outra oficina, o cara sugeriu 115 PSI, medida que aumentou o conforto, mas não resolveu totalmente o problema da dureza;
- não cheguei a me sentir totalmente cômodo com esta suspa, ainda mais porque não entendia muito bem a regulagem do REBOUND. Antes disso, acabei trocando de bike e somente na nova e que me pus a pesquisar mais profundamente esses assu…