Pular para o conteúdo principal

Segurança em perigo com quadros e componentes falsificados chamados OEM

Autor:
Marcas famosas tais como Specialized, Pinarello, Colnago, Wilier, Cervélo, Shimano, Sram, etc, investem milhões de dólares em pesquisa para produzirem quadros e componentes ao nível da excelência, tanto em termos de desempenho e peso, quanto em segurança.

Fábricas chinesas inundam o mercado com toneladas de bikes e componentes que os nossos pobres consumidores desinformados tomam como OEM(*). Alguns pensamentos errados são compartilhados por essa gente que quer pagar muito pouco por muita qualidade.

- Tanto as peças das grandes marcas, quanto as OEM são fabricadas nos mesmos lugares, claro, por preços brutalmente diferentes.
O equívoco nasce na mesma etiqueta “Made in Taiwan”. Componentes de marca jamais são produzidos nas mesmas fábricas, apesar de eventualmente serem no mesmo país.

- É tudo igual, só muda o preço.
O acabamento das versões originais e as réplicas é abismalmente diferente, veja o irregularidade do tubo de carbono deste tubo de direção falsificado. Pronto para romper sob o menor esforço
Canote OEM:

Os amantes de OEM podem perder mais do que a paciência com as quebras, podem perder a saúde!


Finalmente, os apaixonados pelos baratinhos OEM alegam que peças legítimas também quebram. Não há como negar, porém, a incidência de quebras em componentes originais é baixíssima, essa estatística os OEManíacos nunca levam em conta.

(*) OEM – os próprios fornecedores batizam os seus produtos com esta etiqueta, ao invés de chamarem de réplicas ou falsificações. A expressão OEM é erroneamente empregada aqui, porque significa marcas que, não possuindo fabricação própria, encomendam seus produtos de terceiros e apõem seus selos. Não é o caso da pirataria pura e simples que viceja no mercado das bicicletas, uma vez que os fabricantes de falsificações jamais fornecem encomendas para as marcas famosas.

Postagens mais visitadas deste blog

Cubos com Rolamentos ou Esferas – qual é o melhor? Qual roda gira mais livre?

Autor:
A velha polêmica cessará algum dia? O certo é que as bikes mais sofisticadas (caras) vêm com os tais “sealed bearings” (rolamentos selados) e aquelas abaixo de 5k vêm equipadas com anéis de esferas alojados em cones (cup and cone hub). Então, aparentemente só há argumentos bons em relação aos rolamentos e merda em cima das esferas? Errado! O melhor então seria reformular a pergunta: qual é o melhor, um cubo com rolamentos mais ou menos ou um cubo de esferas/cone de alta qualidade?

Também é verdade que há por aí bikes meia boca com rolamentos chineses cujas rodas parece que giram com areia dentro.

Se é verdade é que as pessoas têm problemas nos dois mundos, então vamos colocar alguns argumentos que pesam do lado das rejeitadas esferas. Aliás, a minha GT Zaskar 27.5 Sport está na faixa de preço que não comporta rolamentos, mesmo assim as rodas giram com uma liberdade absurda! E ainda melhor, sem produzir ruído algum, digamos assim, o característico zunido dos rolame…

Galeria de selins sem nariz que salvam a vida sexual do(a) ciclista

Autor:
Os especialistas em saúde sexual masculina afirmam que os ciclistas se divide em 2 grupos: dos que estão impotentes sexuais e o dos que ficarão. E a explicação para essa tragédia é que os selins tradicionais jogam 25% do peso corporal sobre a região do períneo, onde ficam a próstata, a raiz do pênis, e artérias responsáveis pela irrigação do órgão sexual. Assim, uma atividade física, a princípio valiosíssima, pode vir a ser causa de problemas graves de saúde.

As mulheres também têm seus percalços, uma vez que sofrem dores devido à constante pressão exercida contra a sua genitália pelo bico dos selins tradicionais.

Homens com hipertrofia da próstata se encontram completamente alijados do ciclismo, se não buscarem soluções alternativas de assentos. Ciclistas que sofrem sensação de dormência depois de pedais longos devem abandonar inteiramente a concepção de que “ainda não se acostumaram” aos seus selins caros, bonitos e de marcas famosas. O corpo humano não foi feito…

Como regular o câmbio dianteiro Shimano?

Autor:

Desde que comprei a Mountain Bike há 2 meses venho enfrentando alguns probleminhas com a regulagem do freio dianteiro. São duas queixas: eventualmente a corrente caia fora e a corrente raspava em um dos limites. Primeiramente a coroa saltava fora na coroa menor. Depois de nova regulagem na loja, a corrente ficou mais instável na coroa maior.

Ora, se o câmbio dianteiro é o Shimano Deore FD-616, não deveria haver problemas, não é mesmo? Entretanto, mesmo depois da revisão dos 100 km os problemas persistiam.

Então resolvi por mim mesmo regular a coisa. Obviamente, a primeira intervenção não serviu para nada, pois mexi no parafuso mais alto, e na realidade só baguncei o limite da corrente na coroa pequena. Aí resolvi pesquisar pra valer na net! Logo me deparei com o vídeo abaixo que é perfeito para a regulagem de TODOS os câmbios dianteiros Shimano. É bom dar uma olhada nas explicações por escrito: How to Adjust Shimano Mechanical Road Front Derailleurs


O resumo da ó…