Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

Diários de Bici: Specialized, a história de uma bicicleta de mulheres para uma mulher!

Autor:
Segundo a propaganda, as bicicletas para mulheres da Specialized não se limitam a colocar cor-de-rosa nos seus grafismos, mas também vão fundo no objetivo de satisfazer a organicidade feminina.

Comprovamos que os modelos femininos de bikes têm selim, manoplas, suspensão, quadro, grafismos, pedais, pedivelas, relações de velocidades, tudo planejado para obter a plena satisfação anatômica feminina que, acreditem feministas, é bastante diferente da anatomia masculina!

Minha esposa, uma baixinha inveterada, do “alto” dos seus 153 cm, estava satisfeita com a sua bike elétrica aro 24 polegadas e quadro 13. Contudo, a ciclista se ressentia no momento de só pedalar os mais de 20 kg da bicicleta, elétrica adicionadas às dificuldades naturais da Caloi Wild 24, suspensão pobre, pouco rendimento nas pedaladas. E de uma coisa que as bikes elétricas de motor dianteiro têm, a extrema trepidação que transmitem ao guidão, devido ao peso do motor.

Acho que o problema da trepidação …

O que devemos saber sobre pneus?

Autor:
A minha bike veio equipada com pneus Continental Race King Performance diâmetro 27.5 pol e largura 2.2 pol. Devido a um episódio de furo, fui atrás de informações sobre características de pneus para mountain bike e vejamos o que encontrei.

Cravos altos x cravos baixos
Quanto mais “cravudo” o pneu, mas para fora de estrada ele se prestará, mas menos para uso misto. O meu é de cravo baixo, que melhor se adapta ao meu uso mais urbano, pavimento, estada de chão.

Arame/Kevlar
Além da diferença óbvia de custo, os pneus com estrutura de arame são armados, enquanto os de kevlar são flexíveis, podendo ser virados do avesso sem qualquer problema. A adoção do kevlar se deu para facilitar a manutenção de estrada, pois não é necessário o uso de ferramentas para desmontagem/montagem do pneu durante o reparo.

Largura
Creio que 2.2 polegadas é uma boa medida para uso misto, acima disso está mais para down hill e abaixo, se adequa ao uso urbano/estrada.

Número de camadas de proteção
Qu…

Meu 1º pneu furado, tinha que ser o traseiro!

Autor:

Algum dia acontece! Sábado, dia 24/09, voltei de um ride para a cidade, +- 14 kms, tudo normal aparentemente, mas no dia seguinte o pneu traseiro estava no chão. Logo o traseiro! Ainda bem que a bike só arriou depois de eu ter chegado em casa são e salvo.

Bueno, já tinha comprado câmara de reposição, kit de reparos e espátulas, ou seja, já tinha o armamento pesado, mas faltava a experiência. Ainda bem que eu aprendera a uns 2 meses a tirar a roda traseira com este vídeo:


Já para e efetuar o reparo, este outro vídeo dá uma baita ajuda!


DICA IMPORTANTE achada por mim
Estado em campo ou em casa, não dê primeiramente atenção à câmara, mas sim ao pneu. Soube a história de um velhinho que saiu num rolê de alguma centena de Kms com a sua road e acabou furando 4 vezes o pneu! No último, ele se rendeu aos céus e acabou voltando de táxi. Qual foi o problema do bom velhinho? Ele não inspecionou devidamente o pneu, então provavelmente a causa do furo continuava bem ali, furando…

Como comprar uma bike sem conhecer nada do assunto? Não comece errando!

Autor:
O que é melhor, pagar uma boa grana numa 1ª bicicleta correndo o risco dela não servir para as suas necessidades, ou pagar bem menos por uma pé-de-boi, para conseguir trocar logo depois sem muitos arrependimentos?

A minha opção foi a 2ª, sem nem saber que estava fazendo isso. Na realidade, achava que uma bicicleta em torno de mil reais atenderia as minhas expectativas. Naturalmente, saí de uma loja autorizada Scott, GT, Cannondale, com uma Caloi de supermercado em baixo do braço.

Depois de pagar 1.049 reais pela bichinha aparentemente linda, um mês depois consegui vende-la por 800 reais em 10 prestações pagas em serviços. Digamos que esse foi o custo do aprendizado, pois neste mês de uso intenso, aí sim fui na internet em busca de informações sobre componentes, quadros e, principalmente, o máximo que eu poderia pegar numa faixa de preço que não fosse abusiva. Claro que ainda não foi uma Scott, nem uma Cannondale Carbon 3, mas estou muito contente com uma lendária G…

Pedal plataforma Feimin FP-965 é bom?

Autor:
Quando comprei a minha GT Zaskar Sport, que vem sem pedais, o sujeito da loja pergunto se eu usava clipado. Eu disse que não. Então, como cortesia ele forneceu esse FP-965 para que eu não fosse pra casa literalmente de pés abanando.

Ao consultar na internet o preço médio deste modelo MTB da Feimin, descobre-se que ele custa na faixa dos 35 reais. Depois de centenas de km’s com ele, posso dizer que é um milagre que ele custe tão pouco, tendo o corpo todo em alumínio, esferas bem ajustadas, um shape bem atrativo. Entretanto, o grip não é bom porque esse pedal não tem cravos verdadeiros, só umas pontinhas que fazem às vezes de cravos.

Depois de 3 meses de uso, passei o FP-965 para a minha mulher, que estava sofrendo com o sofrível pedal original VP-990A da Caloi Wild 24. Esse sim uma verdadeira porcaria! Que por ter área muito pequena, lados assimétricos (projetado para receber firma-pé), e ser construído com cage, estava escavocando os belos tênis Specialized especí…

Características que um bom pedal plataforma deve ter

Foto: Total Women Cycling Autor:
Você compra uma bike e duas coisas podem ocorrer: ou ela vem absolutamente sem pedais, ou vem com uns vagabundinhos de plástico praticamente descartáveis. Acho que é melhor até vir sem, porque aí nos obrigamos a escolher um que se adapte melhor ao nosso perfil.

Infelizmente, a maioria dos ciclistas não dá a mínima importância aos pedais, apesar deles serem a principal instância de transmissão da sua energia. Então, se usamos pedais que custam em média 2 dezenas de reais, contra 6 mil reais despendidos na bike, devemos chegar à conclusão de que estamos empregando motor de fusca num Rolls-Royce.

Vê-se pelos comentários na internet, que um bom pedal plataforma não sai por menos de uns 300 reais. Será que isso fator suficiente para justificar a prática generalizada de usar pedais vagabundos? Vamos listar a seguir algumas características que um pedal plataforma razoável deve ter para aumentar o prazer da pilotagem.

- Espessura
O melhor é ser ma…

Cuidado com os 5 eixos da sua bike, forneça-lhes giro livre!

Autor:
Como toda a máquina, uma bicicleta depende de rodas para se impulsionar, todavia, não apenas duas rodas (eixos dos cubos) impulsionam a magrela, como também o eixo do movimento central e os eixos dos pedais.

A parte interessante desses cinco eixos é que quanto mais livres giram, menor força você precisa empreender para fazer o conjunto andar. Portanto, a segunda força-motriz mais importante da bike é a sua capacidade de se mover por inércia, que é tanto maior, quanto mais livres girarem os seus eixos de movimento.

O giro livre das partes móveis depende umbilicalmente de dois fatores:
- qualidade construtiva dos componentes: cubos, movimento central e pedais e do mecanismo destinado a diminuir o atrito entre o eixo imóvel e a carcaça circundante móvel – esferas/cones ou rolamentos. As bicicletas mais sofisticadas tendem a ter eixos com giro livre muito maior do que as de baixo custo, porém, de nada adianta ser cara se o cronograma de manutenções não for seguido;

- …

Como aumentar o seu rendimento na bicicleta? Usando inteligentemente a alavanca!

Autor:
Não posso me considerar um marinheiro de 1ª viagem no ciclismo, uma vez que desde a infância ando de bicicleta, depois tive moto por muitos anos. Mesmo assim, depois de muito tempo sem bike, a minha volta está sendo marcada por conhecimentos técnicos que não dispúnhamos antigamente.

Então, virou uma verdadeira saga a escolha do selim, a definição da sua altura, inclinação e recuo. No início do meu retorno, o meu selim ficava baixo, até que me sentia confortável com a posição, que me permitia encostar no chão com as pontas dos pés. Ao cabo de 1 mês troquei de mountain bike e continuei com o selim posicionado abaixo do padrão mínimo, cerca de 2 cm abaixo do que o bikefit realizado na loja determinara.

Devido à ânsia de aumentar o meu rendimento no pedal, ou seja, usar marchas um pouco mais pesadas e trocar menos as coroas, fui na internet pesquisar e encontrei o cálculo padrão que define a altura mínima do selim: medida do cavalo x 0,883

Cavalo = altura do chão (de p…

Galeria de selins sem nariz que salvam a vida sexual do(a) ciclista

Autor:
Os especialistas em saúde sexual masculina afirmam que os ciclistas se divide em 2 grupos: dos que estão impotentes sexuais e o dos que ficarão. E a explicação para essa tragédia é que os selins tradicionais jogam 25% do peso corporal sobre a região do períneo, onde ficam a próstata, a raiz do pênis, e artérias responsáveis pela irrigação do órgão sexual. Assim, uma atividade física, a princípio valiosíssima, pode vir a ser causa de problemas graves de saúde.

As mulheres também têm seus percalços, uma vez que sofrem dores devido à constante pressão exercida contra a sua genitália pelo bico dos selins tradicionais.

Homens com hipertrofia da próstata se encontram completamente alijados do ciclismo, se não buscarem soluções alternativas de assentos. Ciclistas que sofrem sensação de dormência depois de pedais longos devem abandonar inteiramente a concepção de que “ainda não se acostumaram” aos seus selins caros, bonitos e de marcas famosas. O corpo humano não foi feito…

Impressões práticas sobre o uso de lubrificação seca para corrente de bike

Autor:
Desde junho estou usando exclusivamente o lubrificante seco Squirt, cujo princípio ativo é a base de cera de abelha. De lá para cá já posso afirmar com certeza algumas coisas sobre essa ótima opção aos engordurantes lubrificantes úmidos tradicionais.

1) Efetivamente você tem que estar afim de manter a sua bicicleta em dia. Explico, é que a lubrificação seca requer mais aplicações e limpezas mais frequentes.

2) Contudo, a limpeza é enormemente facilitada porque a sujeira não adere à corrente, como acontece nos gordurosos lubrificantes úmidos. Assim, você passa um pincel é literalmente a sujeira cai em pedacinhos.

3) Estando a corrente lubrificada e limpa, você não ouve nenhum ruído, não experimenta nenhuma falha nas trocas de marchas.

4) Agora, depois de alguns pedais, digamos uns 3, você começa a ouvir a movimentação dos elos e, eventualmente, pode até ouvir alguns estalos. Então, já sabe que é hora de limpar e lubrificar. Prefiro não deixar as coisas ficarem realm…

Vantagens e desvantagens dos Selins sem nariz para uso em MTB

Autor:
Como no Brasil o preço desses selins é abusivo, resolvi fazer uma experiência com um selim cruiser (almofadado) serrando o bico do dito cujo. Assim, sem gastar um centavo, consegui ter alguma experiência com este tipo de selim que promete aliviar a pressão sobre a zona do períneo, próstata e não diminuir a circulação sanguínea do pênis, etc.

As minhas conclusões são as seguintes:

- Mountain bike pe feita para rodar em terrenos ruins, ladeiras íngremes, descidas radicais, pois neste contexto o selim sem nariz provoca uma sensação de instabilidade. Na realidade, você abre mão de um recurso, com o meio das suas pernas, para manter a bike na trajetória.

- Até que o comportamento nas subidas é legal, mas nas descidas o banco tende a jogá-lo para frente.

- Curvas em descida (asfalto) em alta velocidade tornam-se bem instáveis, houve um aumento considerável da instabilidade.

- Certamente, qualquer sensação de incômodo ou dormência na área genital não passa nem perto de um…

Segurança em perigo com quadros e componentes falsificados chamados OEM

Autor:
Marcas famosas tais como Specialized, Pinarello, Colnago, Wilier, Cervélo, Shimano, Sram, etc, investem milhões de dólares em pesquisa para produzirem quadros e componentes ao nível da excelência, tanto em termos de desempenho e peso, quanto em segurança.

Fábricas chinesas inundam o mercado com toneladas de bikes e componentes que os nossos pobres consumidores desinformados tomam como OEM(*). Alguns pensamentos errados são compartilhados por essa gente que quer pagar muito pouco por muita qualidade.

- Tanto as peças das grandes marcas, quanto as OEM são fabricadas nos mesmos lugares, claro, por preços brutalmente diferentes.
O equívoco nasce na mesma etiqueta “Made in Taiwan”. Componentes de marca jamais são produzidos nas mesmas fábricas, apesar de eventualmente serem no mesmo país.

- É tudo igual, só muda o preço.
O acabamento das versões originais e as réplicas é abismalmente diferente, veja o irregularidade do tubo de carbono deste tubo de direção falsificado. …

Como escolher uma Mountain Bike em apenas 5 itens?

Autor:
O problema da compra da 1ª bicicleta é sempre a ignorância. O resultado é que você termina pagando muito por pouco, mesmo que seja por uma bike de magazine anunciada em oferta, paga em 12 vezes. Porque normalmente você descobre em um mês que fez a compra errada e te toca vender a novinha e comprar outra que realmente atende as suas necessidades.

Para evitar o troca-troca antecipado, alguns critérios devem ser observados até pelo leigo mais liso da paróquia! Digamos que você não more numa cidade amigavelmente plana, porque aí até uma bicicleta sem marcha nenhuma pode dar conta do recado, então vamos a uns poucos itens que devem ser observados.

1 - Quadro
O quadro é o que define tudo numa bike! Pessoas baixas ficam mais confortáveis em quadros 15, 16. Pessoas médias ficam boas com 17 e pessoas altas com 18 em diante. É recomendável que mulheres escolham um quadro feminino, muito mais confortável para a sua anatomia.

2 - Peso
Uma vez definido o quadro, é hora de escolh…

O que é trilha?

Autor:
Está certo, você tem a sua Mountain Bike e dizem que com ela você pode pegar trilhas. Algumas bicicletas MTB de supermercado até se aventuram a propagandear que aguentam “trilhas leves”, quando na verdade nem aguentam estradas pesadas!

Claro, tudo lorota! Dificilmente, praticamente impossível, um reles mortal (com condicionamento físico de batata de poltrona) pegar uma trilha de verdade, ainda mais porque este reles mortal não dispõe do equipamento adequado.

Então, o que é trilha?
A minha definição de “trilha” forja-se nas roubadas. Assim, defino como trilha, qualquer caminho que praticamente não consigo subir ou descer andando em cima da bike. Vejamos algumas situações em que a apeada é quase certa:

- Estrada de chão em forte aclive/declive inteiramente recoberta de brita/pedrinhas soltas, aquela em você não consegue montar porque a roda patina e usar freio não se pode nem pensar. Um exemplo disso é essa estradinha aí que é impossível subir de carro. Ela é um ace…

Como prolongar a duração da bateria de lítio das bicicletas elétricas?

Autor:
Quem tem uma bicicleta elétrica, tipo a minha esposa, sempre se preocupa em maximizar a autonomia para pedalar mais longe entre uma carga e outra. Felizmente, os macetes para prolongar a durabilidade, tanto das cargas, quanto da integridade das células são bem simples de se seguir.

1) Usar sempre o sistema PEDELEC, também chamado de PAS (Pedal Assist System). Alguns modelos atuais de kits elétricos não vêm equipados com acelerador.

2) Desligar o motor nas situações em que não precisa
O melhor mesmo é instalar um interruptor adicional de fácila cesso no guidão, ligado ao módulo de controle, usando o mesmo fio conectado aos interruptores dos manetes de freio.

3) Não arrancar usando o motor

O mais recomendável é ligar o motor somente com o “bonde andando”, ou seja, nunca iniciar o movimento no motor, já que essa é a situação que provoca um grande pico de consumo de bateria. Logo, o mais saudável é partir sempre com o motor desligado e liga-lo quando a bicicleta está em m…

Tipos de selim

Autor:
O componente mais problemático da bicicleta é o selim, por representar a interface mais íntima entre o elemento humano e a máquina. Portanto, a escolha do selim deveria depender muito mais das necessidades do indivíduo, do que do desejo de ter algo sofisticado e caro, mas prejudicial à saúde

Tais necessidades são resumidamente:
- Posição: ereta, um pouco inclinada, agressivamente inclinada.
- Tipo de uso: urbano, estradões de chão, misto, trilhas, estradas pavimentadas, asfalto, etc.
- Horas de pedal contínuo: selins fofos podem ser torturantes depois de várias horas de pedal.

Concluindo, você nunca deve procurar se adaptar ao selim, pois é o selim que tem de se adaptar ao seu perfil.

Cruiser
São selins grandes, fofos, às vezes estofados com gel, equipados com molas ou elastômeros (coxins de borracha) responsáveis pelo amortecimento de impactos. Normalmente são usados em bicicletas de passeio para uso urbano, ocasional e transporte.

Noseless – shortnose – sem bico – …