Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

A interminável história do Selim, afinal, qual é o Selim ideal?

Autor:
É praticamente certo que você não se adaptou ao selim original da sua bicicleta. Nem sei porque os fabricantes ainda se dão ao luxo de encaminharem seus modelos com selim, se a maioria dos usuários vai trocar mesmo.

E a explicação é muito simples, há muitas variações na anatomia dos indivíduos, há diferentes flexibilidades, há defeitos congênitos tais como a escoliose, em síntese, o número de tipos de usuários supera em muito a grande variedade de tipos de selims disponíveis no mercado.

A minha pequena história é ilustrativa do problema. Quando fui na loja comprar a 1ª bike, e acabei optando pela Caloi T-Type, logicamente que o selim original não me satisfez nem no testdrive. Então, repassando alguns modelos, botei o olho no Pro Vtec modelo Confort Cruiser. O vendedor instalou na bicicleta e nem cheguei a experimentar outro, fiquei com aquele mesmo.

Um mês após, depois de ter descoberto que a T-Type apresentava um rendimento bem discreto nas subidas íngremes, fiz …

Diários de Bici: não viajarás nos mapas do Google! Ou melhor, viaje!

Autor:
Não adianta, um aficionado de mountain bike não consegue largar o vício de fuçar em bibocas, se enfiar em abismos e escalar subidões! De todos os modais, carro, a pé, moto, acho que a bicicleta é a que mais nos proporciona oportunidades de penetrar nos lugares vazios dos mapas, somente palmilhados por estradinhas que nos convidam a ir mais além, a ver paisagens totalmente desconhecidas. Normalmente, a única realidade percebida dessas localidades são as plaquinhas de estrada que assinalam haver quilômetros de estrada de chão adiante alguma comunidade perdida no meio do nada.

E um dos grandes auxílios para essas expedições é o Google Maps com a sua visão aérea. Entretanto, fica difícil mensurar as dificuldades topográficas “viajando” apenas no mapa. A foto da página foi capturada do lado oeste de acesso à Basílica de Nossa Senhor de Caravaggio, Farroupilha, Rio Grande do Sul. Através dela não é possível aquilatar o grau de dificuldade da última estação da verdadeira…

Diários de Bici: GT Zaskar Sport 27.5 essa tem DNA para subir!

Autor:
Um mês depois de ter comprado uma Caloi T-Type, me dei conta de que comecei comprando errado. Para o atendimento das necessidades concernentes ao relevo insano da minha cidade, a pobre T-Type não oferece o aparato mínimo necessário.

Pois bem, pesquisando nos sites dos fabricantes, descobri um modelo dentro de um orçamento razoável cuja principal característica é a subida. E o melhor, trata-se de uma bicicleta pequena com quadro 17 e aro 27.5 que cabe justamente dentro do carro (tirando-se o pneu da frente).

Nessa altura de campeonato, já feitos quase uns 50 km, posso dizer que finalmente alcancei o Nirvana no mundo das bikes. Comecei a encarar uns subidões de dar medo e descidas que parece que dão a ideia de que se vai capotar, nesses momentos os freios a disco hidráulicos dão toda a segurança que eu não tinha com os V-Brake da T-Type, confesso que em algumas rampas eu apeava. Logicamente, o sofrimento para vencer as subidas muito íngremes, justificava uma descansa…

O impressionante espanta-cachorro ultrassônico Dazer o salvador do ciclista!

Autor:
Se você é ciclista, ou motociclista, sabe o que é enfrentar matilhas de cães raivosos nas quebradas das bibocas. Mal recomeçada a minha carreira de ciclista (1 mês) e já fui “brindado” com uma mordida na panturrilha, devido ao ataque de uns cinco cães durante uma descida numa estrada de chão parcialmente coberta de brita. E histórias como essa, de cães brabos, se repetem exaustivamente entre os ciclistas.

Alguns tentam jogar a água da caramanhola, outros tentam chutar os pestes, outros gritam, etc. O problema é que o tumulto gera uma comoção que te persegue, já que a cachorrada lá adiante fica alerta e sabendo que daí a pouco vai passar um presunto.

Pois bem, pesquisando na internet me deparei com um aparelhinho maravilhoso que emite um grito ultrassônico de 25 Khz, inaudível para humanos, mas altamente perceptível para os danados. O Dazer II é o tal aparelho, vi os vídeos de demonstração no Youtube e a coisa funciona na prática daquela maneira mesmo.

Alguns cães …

Vocabulário de Bike: Quadro

Autor:
É a única coisa que as montadoras projetam e fabricam, já que o resto se trata tão somente de componentes de terceiros. Contudo, nem este item que deveria ser a única peça original escapa da síndrome da cópia, uma vez que existem por aí clones de quadros genuínos Tek, GT, Scott, Montague, etc. Portanto, se você errar no quadro, certamente estará errando na bicicleta, não obstante a atratividade dos componentes.

Qual é a posição e a tensão corretas da blocagem?

Autor:
A maioria dos ciclistas não dá a devida importância ao sistema quick-release, comumente chamado de blocagem, que se trata de um sistema de alavanca que substitui as porcas de aperto das rodas.

Apesar da praticidade do fato de não precisar de ferramentas, a blocagem pode se tornar um método de fixação das rodas extremamente inseguro de alguns procedimentos não forem adotados.

Semanalmente, levo a bike no carro e volto para casa pedalando. Para caber dentro do veículo, sou obrigado a tirar o pneu dianteiro. Na última vez, fiz o procedimento de montagem, mas quando comecei a pedalar ouvi um ruído estranho que não parava nem quando eu cessava de pedalar. Parei, conferi a posição da blocagem e descobri que havia fechado a alavanca com o eixo fora de posição, o seja, o consequente desalinhamento da roda fazia o aro roçar nas balacas do freio.

Depois de consertado o problema, quando cheguei em casa resolvi dar uma consultada sobre os procedimentos corretos, porque estando…

O que é Lubrificação Seca e Úmida da corrente de bike?

Autor:
Depois de muitos anos, voltei a ter bicicleta, depois da minha experiência com as magrelas e motos. Agora, volto a vivenciar o mesmo problema enfrentado nas antigas experiências: a sujeirada produzida pela lubrificação da corrente. E naquela época não havia as opções disponíveis hoje, usávamos grafite em cima do óleo na tentativa de minimizar o horror da corrente, pinhão e coroa ficarem virados numa maçaroca de imundície.

Atualmente, para a felicidade dos ciclistas, há no mercado a solução da lubrificação seca que não envolvem ingredientes petrolíferos. Logo, umas 2 semanas depois de comprar a bike, desengraxei meticulosamente a corrente com Jimo Desengraxante, depois lavei e escovei cuidadosamente com bastante detergente neutro, passei jato de compressor para ajudar na secagem e já estava tudo pronto para uma nova vida!

Pesquisando o mercado internético*, optei pelo lubrificante sul-africano Squirt, feito à base de cera de abelhas. Comprei de cara meio litro, por…

Vocabulário de Bike: Suspensão

Autor:
Suspensão é aquele negócio que te faz rir nas descidas acidentadas e drena as tuas forças morro acima. Ou seja, é uma relação de amor e ódio. Então, os ciclistas sem nenhuma vocação para o down hill deve fugir dos modelos full suspension (suspensão dianteira e traseira), principalmente os baratinhos. O melhor dos mundos é contar com uma boa suspensão dianteira dotada de chave “lock”, ou seja, um dispositivo que trava o curso das bengalas nas subidas, assim parte da energia das pedaladas não se dissipa no vai e vem do amortecedor. Melhor ainda é se o acionamento do bloqueio de suspensão for no guidão. Ahh... e tem mais, quanto mais molenga for a suspensão, mais energia roubará do piloto, pense nisso!

Vocabulário de Bike: Mountain Bike – MTB

Autor:
Tipo de ciclismo destinada a trilhas, estadas sem pavimentação, etc. Pelas suas características de geometria, pneus grossos e relações, preza mais o torque, em função dos terrenos difíceis, encarpados, etc, do que a velocidade.

Um pequeno histórico da modalidade Mountain Bike se encontra no site/loja CicloVia:
A modalidade desportiva mountain bike nasceu na Califórnia no meio da década de 1950 através de brincadeiras de alguns ciclistas e de alguns surfistas que procuraram desafios bem diferentes das competições de estrada tradicionais e atividades para dias sem ondas. Os primeiros nomes que apareceram foram: James Finley Scott: "provavelmente" a primeira pessoa a modificar uma bike exclusivamente para andar na terra - em 1953. Utilizou um quadro para passeio Schwinn, pneus largos, conhecidos como balão, guidão reto, freios cantilever e cambios traseiros e dianteiros; Tom Ritchey e Gary Fisher: pioneiros na prática do esporte e no desenvolvimento de comp…

Vocabulário de Bike: Bicicleta Dobrável

Autor:
Dobrável: quando o problema é portabilidade, sem depender dos aparatosos racks externos em carros, a solução é partir para um modelo dobrável. De preferência com aro de 20”, que permite o transporte no porta-malas do veículo sem retirar a roda da frente.

Só que há um detalhe: no momento em que você opta por uma dobrável, pagará bem mais por uma bike de qualidade dos componentes inferior às congêneres não dobráveis. A conclusão que se chega é que a portabilidade sacrifica alguns quesitos que são essenciais na hora da bicicleta enfrentar relevos mais acidentados/irregulares.

Vocabulário de Bike: Híbrida

Autor:
Híbrida: tipo de bicicleta que une um pouco do conforto proporcionado pelas MTB (mountain bikes) ao aumento de velocidade somente alcançada plenamente nos modelos speed, logicamente, com o sacrifício de alguns dentes a menos nas engrenagens, sacrificando assim a eficiência nas subidas em função do desempenho no plano.

Quem se preocupa com bicicletas comuns a preço acessível? Os canais especializados não!

Autor:

Não sei se é o seu caso, mas acho que a grande maioria dos brasileiros, quando decide comprar uma bicicleta, fica chulhando nos sites dos grandes magazines para pegar algo bonzinho entre 500 e 900 reais. Este é definitivamente o meu caso!

O vídeo abaixo exemplifica muito bem o quanto os canais especializados em bikes são voltados para os ricos. É só um exemplo, o sujeito ensina a montar e regular um câmbio Sram X4. Ora, se você vai ver o preço de um negócio desses, está na faixa de 200 reais. Se o meu câmbio (e o da maioria das bikes anunciadas por aí) custa entre 20 e 25 reais, o cara está falando sobre um objeto do mundo da lua!

Gostei do comentário feito no vídeo por um internauta esperto:
“O problema desse e outros canais é que só falam de manutenção de peças caras a maioria das pessoas usam quadro comum e cambio comum porque ninguém quer investir mais de 600 reais em uma bike para andar no dia a dia, porque a manutenção será mais cara, meu cambio traseiro custa…

Vocabulário de Bike: Movimento Central

Autor:

Conjunto de rolamentos que sustentam o pedivela (alavanca que prende o pedal), permitindo o giro livre dos pedais e atenuando o atrito. Apesar de quase ninguém dar importância a este item, ele é crucial para a transmissão da força exercida pelo ciclista ao sistema de tração.

Leia mais sobre este componente em:
http://mtbbrasilia.com.br/2014/03/22/o-que-e-o-movimento-central/

Vocabulário da Bike: Commuting

Autor:
Uso funcional e urbano da bicicleta para deslocamentos cotidianos, trabalho, escola, compras, etc. Essa modalidade de ciclismo é mais disseminada em cidades planas, tais como Amsterdã, Porto Alegre, etc.

Como evitar a desregulagem do câmbio da bicicleta? Evitando as marchas cruzadas!

Autor:
Como evitar a desregulagem do câmbio da bicicleta? Evitando as marchas cruzadas!

Se você é um dos que, como eu, não tem bufunfa para bancar um câmbio Shimano com nome do tipo Altus, Acera, Alivio, Deore, etc, então tem que tratar bem o seu “sem nome” que vem equipando uma Caloi qualquer dessas da vida comprada nas Americanas.

Como os câmbios SIS, TZ, Tourney, são reconhecidamente frágeis e instáveis, a forma da pilotagem prolongará ou encurtará a regulagem. Descobri isso na prática nas minhas 2 primeiras semanas de pedal numa Caloi T-Type. A cada saída, eu acabava perdendo as duas marchas mais leves. O problema é que na minha cidade, por ser muito acidentada, usa-se muito as marchas de tração.

E o problema é que eu, por ignorância, trocava as marchas “a la loca”, sem nenhuma noção. Tanto é que quando fui na loja onde comprei a bike, o técnico disse que inclusive o câmbio estava torto. Ora, em se tratando do famigerado Shimano TZ-31, flexível como uma folha de papel…